×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Bem-estar & Natureza

Três espaços verdes do Porto voltam a estar entre os melhores do mundo

Inês Grasina Inês Grasina

espaços verdes porto

São eles o Jardim Botânico, o Parque da Cidade e o Jardim do Passeio Alegre.

Tendo já sido distinguidos, em julho do ano passado, pelos prémios internacionais Green Flag Awards como três dos melhores espaços verdes do mundo, estes foram os primeiros a obter este reconhecimento no nosso país.

Em 2020, estes parques e jardins da Invicta voltam a renovar este título e distinção. Assim, fazem parte da “elite” dos espaços verdes a nível mundial.

Esta é, então, a segunda vez que a “bandeira verde” distingue jardins portugueses e, em concreto, estes três espaços verdes do Porto.

Os Green Flag Awards, criados há mais de 20 anos e coordenados pela Organização Não Governamental Kepp Britan Tidy, sob a égide do Ministério da Habitação, Comunidades e Governo Local do Reino Unido, têm como objetivo reconhecer o mérito dos parques e jardins, a nível mundial, que se destaquem pelas boas práticas, tanto ao nível da sua gestão como a manutenção do espaço.

Et voilà, estes três espaços verdes do Porto cumpriram os requisitos! 👏

Jardim Botânico

Instalado desde 1951 na antiga Quinta do Campo Alegre e com uma área de cerca de quatro hectares, o Jardim Botânico do Porto é, sem dúvida, uma referência na cidade. Juntamente com a Galeria da Biodiversidade, localizada num palacete do século XIX desde 2017, integra a estrutura do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto.

Em pleno centro da cidade, serviu de inspiração para obras de Sophia de Mello Breyner Andresen ou Rúben Andresen Leitão. O local perfeito para entrar em contacto com a natureza e viver intensas experiências sensoriais, de cariz científico e artístico.

jardim botânico

Parque da Cidade

O maior parque urbano do país, um parque que desagua no mar e o pulmão da cidade. Assim resumimos o Parque da Cidade do Porto! Com uma superfície de 83 hectares que se estendem até ao Oceano Atlântico, foi projetado pelo arquiteto paisagista Sidónio Pardal.

Foi inaugurado, numa primeira fase em 1993, apenas foi finalizado nove anos depois, em 2002.

Publicidade

Em 2000 foi distinguido pela Ordem dos Engenheiros como uma das “100 obras mais notáveis construídas no século XX em Portugal“.

Entre as suas infraestruturas podemos encontrar campos desportivos, uma ciclovia partilhada e um Centro de Educação Ambiental, já para não falar dos seus lagos e a enorme variedade de fauna e flora. Não percas o Observatório de Aves de Portugal.

Seja apenas para dar um passeio, fazer exercício, ou apreciar a natureza, este é sem dúvida um sítio a ter conta. Sozinho ou em família, aqui respira-se ar puro!

Jardim do Passeio Alegre

Um jardim com carácter essencialmente romântico plantado à beira-rio onde elementos arquitetónicos de grande valor convivem diariamente com o exuberante arvoredo.

Com cerca de 41 mil metros quadrados, foi construído nos finais do século XIX e desenvolve-se geometricamente ao longo de um eixo central, sendo ladeado à beira-rio por uma Alameda de Palmeiras das Canárias, classificadas de interesse público.

Mas não se fica só por aqui. Este jardim alberga um conjunto de elementos arquitetónicos de grande valor, como um chafariz em granito proveniente do antigo Convento de S. Francisco, dois Obeliscos de Nasoni, oriundos da Quinta da Prelada, ou os sanitários públicos construídos em 1910 e decorados com azulejos Arte Nova e loiças inglesas.

Ainda na extremidade noroeste do Passeio Alegre, encontramos uma pequeno chalet romântico, construído em planta octogonal. Também conhecido por Quiosque do Passeio AlegreChalet Suisso, Chalé Suiço, ou simplesmente Chalet do Passeio Alegre foi construído em 1874 e é dos poucos que ainda resistem na cidade.

passeio alegre
@danielferreira96

Descobre mais jardins do Porto

Foto de capa: unsplash.com/@toryj