×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...

É o São João que festejamos, mas não é ele o padroeiro do Porto

Carolina Bessa Carolina Bessa

festa são joão

É a festa da cidade, em nome de São João. Mas não é ele o padroeiro da cidade.

Sabias que São João não é o santo padroeiro do Porto? Na verdade, é a Nossa Senhora da Vandoma, mais conhecida por Nossa Senhora do Porto.

Desde 1981 que a Nossa Senhora da Vandoma é a santa padoreira da cidade e representa a devoção da cidade do Porto a Maria, mãe de Cristo. Contudo, é São João que festejamos. E é aqui que surge a pertinente questão: mas porquê?

são joão porto
porto.pt

Segundo reza a lenda, o dia 24 de junho é dedicado a São João Baptista, primo de Jesus Cristo. Diz-se que também João Batista foi um milagre, sendo que sua mãe era virgem, como Maria, e foi o Anjo Gabriel que anunciou a sua gravidez. O seu nascimento foi anunciado com uma fogueira e por isso, hoje, celebramos São João. Esta é a história que serve de pretexto para as festas de São João. Contudo, crê-se que tem origens pagãs, mas foi, mais tarde, cristianizada pela Igreja (tal como o Entrudo).

Consta-se que as celebrações começaram para festejar o início do solstício de Verão e, com ele, a fertilidade das terras e as perspetivas de boas colheitas. Estes são também os motivos que explicam o alho-porro e os raminhos de oliveira, muito conhecidos pelos portuenses e que ainda hoje saem à rua na noite de São João.

O alho-porro era considerado um símbolo de fertilidade, pelo que era usado pelos homens que davam na cabeça de quem passava (por isso se diz por cá que dá sorte ter um alho-porro atrás da porta!). Já os raminhos de oliveira significavam os pelos púbicos e eram levados à rua pelas mulheres que punham na cara dos homens que passavam.

Atualmente não há festa de São João sem os martelinhos de plástico que surgiram para substituir os alhos-porro. Para além disso, e porque fazem um barulho estridente, são também um símbolo de celebração!

A festa de São João é celebrada em várias cidades, mas em nenhuma se celebra como no Porto. Para além dos martelos, alhos e ramos de oliveira, há também a tradição dos balões, lançados por toda a gente, que iluminam o céu da cidade. Mais uma vez relacionada com motivos pagãos, esta tradição remonta ao culto do sol e luz.

Publicidade

Daí também se explica a fogueira que era habitual fazer, com os meninos a saltar à sua volta, e o recurso a fogo de artifício (que sempre se usa numa celebração, mas tem um duplo significado quando se fala das festas de São João).

Também comum na altura do São João, e espalhadas pela cidade, são as cascatas são joaninas, numa forma de prestar homenagem a São João, a quem foi dedicada esta festa.

cascatas são joão
Festas de S. João no Porto

Esta é sem dúvida, a noite mais longa e animada do ano para os portuenses. É quase como um Natal em junho em que todos saem à rua e a cidade enche-se de música, tradição e rituais (e claro, manjericos com as tradicionais quadras!).

Ainda que não seja o santo padroeiro da cidade, São João está muito ligado à cidade e, juntamente com a Nossa Senhora da Vandoma, abençoa a cidade Invicta.

Na verdade só nos podemos rejubilar com tanta sorte que em vez de um temos dois santos padroeiros!

Foto de capa: @nopaus

O Que Fazer