×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
O Que Fazer

A maior sinagoga da Península Ibérica é no Porto (e não é por acaso)

Carolina Bessa Carolina Bessa

A maior sinagoga da Península Ibérica é no Porto (e não é por acaso)

O Porto sempre acolheu uma grande comunidade judaica.

Sabias que o Porto sempre teve uma forte presença judaica? Aliás, não é por acaso que se encontra na cidade Invicta a maior sinagoga da Península Ibérica e uma das maiores da Europa, a Sinagoga Kadoorie Mekor Haim, na Rua de Guerra Junqueiro.

Esta sinagoga foi inaugurada em 1938 e foi construída com donativos de judeus de todo o mundo. A construção deste edifício tem mais importância uma vez que foi numa altura em que se intensificava a perseguição aos judeus na Europa e a maioria das sinagogas na Alemanha eram queimadas.

É a sede da Comunidade Israelita do Porto, que foi fundada em 1923 pelo Capitão Barros Basto. Este ficou conhecido na comunidade judaica por resgatar judeus que se tinham convertido, de forma forçada e por questões de sobrevivência, ao cristianismo, mas que ainda mantinham as tradições judaicas em segredo.

Na altura, ainda não existia o Estado de Israel, pelo que “judeus” e “israelitas” eram sinónimos. Neste sentido, optou-se pelo nome “Comunidade Israelita do Porto”.

sinagoga porto
flickr.com/bilderflut photography

Mas a presença de judeus no Porto vai mais atrás do que os anos da 2ª Grande Guerra. Já no tempo da monarquia existia uma comunidade, cuja expulsão ou conversão ao cristianismo foi ordenada por D. Manuel I. Muitos foram embora do país, mas muitos outros converteram-se, passando assim a ser conhecidos como cristão-novos. Contudo, esta foi apenas uma conversão camuflada, uma vez que mantiveram os seus costumes em segredo.

Por exemplo, existia uma sinagoga secreta, na Rua de São Miguel, onde atualmente funciona o Lar e Centro de Dia para Idosos da Paróquia de Nossa Senhora da Vitória. Vestígios deste edifício foram encontrados em 2005, aquando da construção do Lar e estão, hoje, preservados. Na placa que mostra o nome da rua, hoje em dia, podemos ler “Rua de São Miguel – Antigo Local da Judiaria”. 

Publicidade

@claudiaccdp

Atualmente, a Comunidade Israelita do Porto, que reúne cerca de 400 judeus de 30 países diferentes, é também responsável pelo Museu Judaico do Porto, um dos poucos na Europa administrado por uma comunidade judaica. Mais ainda, a comunidade possui um cinema, oferece cursos a professores para combater o anti-semitismo e tem uma sala de aula.  

Para além disso, existe uma loja Kosher no Mercado do Bom Sucesso, onde é possível comprar alimentos que estão de acordo com as leis judaicas, a Porto Kosher Store.

Tudo isto pode ser visitado. A Comunidade decidiu abrir as suas portas e permitir visitas, exceto em dias festivos, para dar a conhecer a sua históriapromover uma melhor compreensão do judaísmo religioso e histórico.

A comunidade judaica do Porto sempre manteve boas relações com os portuenses e os órgãos do Governo, quer a nível municipal, quer do país.

Foto de capa: flickr.com/Grémio Hebraico