×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
O Que Fazer

Ruas partilhadas pelo Porto e por Lisboa

Inês Santos Inês Santos

Ruas partilhadas pelo Porto e por Lisboa

Porto e Lisboa distam mais de 300km mas há vários detalhes que unem as duas cidades, muito além das diferenças. Para nós, fãs assumidos da toponímia, é curioso encontrar as mesmas ruas e praças nos dois centros urbanos. Vamos traçar um paralelismo entre esses espaços e descobrir o que os junta e o que os separa.

1 – Campo dos Mártires da Pátria

Foto: @img.itinari.com

Lisboa: O Campo dos Mártires da Pátria é ainda apelidado por grande parte da população de Campo de Santana e serve de união a dois vales importantes da cidade, entre a Avenida da Liberdade e a Almirante Reis. Já foi praça de touros, já recebeu a Feira da Ladra e é dominado pelo edifício da antiga Escola Médico-Cirúrgica, servindo também de casa à Embaixada da Alemanha. O seu nome atual foi oficializado em 1880 e serve de homenagem ao “General Gomes Freire de Andrade e seus companheiros, conjurados que tentaram derrubar o governo do Marechal Beresford, tendo sido enforcados neste local em 1817”.

Foto: @cm-porto.pt

Porto: A zona que é vulgarmente apelidada de Cordoaria é, na verdade, a área que corresponde ao Campo dos Mártires da Pátria na Invicta. Anteriormente chamou-se Largo do Olival e o nome foi alterado de forma a recordar os doze “Mártires da Liberdade”, enforcados em 1829 por ordem dos tribunais miguelistas. Acolhe o Tribunal da Relação do Porto e o Centro Português de Fotografia (antiga Cadeia da Relação) e o seu nome foi instituído em 1835. É também espaço contíguo à Torre dos Clérigos.

2 – Rua das Flores

Foto: Estúdio Horácio Novais | 1930-1980 [AML]
Lisboa: Eixo de ligação entre o Largo Camões e a zona do Cais do Sodré, a lisboeta Rua das Flores já existia antes do Terramoto de 1755. O seu maior segredo será talvez o facto de ter sido o arruamento destacado por Eça de Queirós no livro “A Tragédia da Rua das Flores”.

Porto: Uma das artérias mais pitoresca do Porto, a Rua das Flores permite ir da Estação de São Bento ao Largo de São Domingos. Foi renovada em 2014 e tornou-se pedonal; a partir daí, passou também a ser uma das mais trendy da cidade com hotéis, restaurantes, bares e lojas de muitos tipos. As suas origens remontam ao século XVI, com o nome “Rua de Santa Catarina das Flores”.

Publicidade

3 – Rua (de) Passos Manuel

Foto: Arnaldo Madureira | 1967 [AML]
Lisboa: Na capital é Rua Passos Manuel e é uma das artérias que vai dar ao Jardim Constantino, na Estefânia. O edital municipal que a consagrou foi publicado em 1884 e pretendia homenagear o principal obreiro da Revolução de Setembro, que foi também ministro entre 1836 e 1842. As inúmeras árvores que a povoam fazem desta uma das ruas mais bonitas da zona.

Foto: @porto.pt

Porto: Na cidade invicta, é Rua de Passos Manuel e é mais conhecida por ser a rua do Coliseu do Porto, uma das mais emblemáticas da Baixa portuense. O seu nome foi oficializado em 1877 e celebra, portanto, o mesmo político que a artéria lisboeta.

4 – Rua Mouzinho da Silveira

Foto: @mapio.net

Lisboa: A Rua Mouzinho da Silveira faz ligação entre a Barata Salgueiro e a Brancaamp, na zona da Avenida da Liberdade, bem perto do Marquês. Data de 1882 e recorda José Xavier Mouzinho da Silveira, fundador do Supremo Tribunal de Justiça.

Foto: @armando tavares

Porto: Paralela à Rua das Flores, a Rua Mouzinho da Silveira faz o mesmo percurso – de São Bento até à zona da Ribeira. Celebra José Xavier Mouzinho da Silveira, um dos mais importantes políticos do Porto durante a revolta liberal de 1820. A rua foi inaugurado em 1875. Tal como a Rua das Flores, é cheia de vida e movimento.