×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Notícias

Primeiro Museu do Holocausto na Península Ibérica fica no Porto

By Sofia Kendall

Primeiro Museu do Holocausto na Península Ibérica fica no Porto

Museu do Holocausto contou com 10.000 visitantes apenas no primeiro mês de abertura.

Tendo a abertura sido adiada para 5 de abril, devido ao estado de emergência, no primeiro mês da sua abertura, o museu contou com cerca de 10.000 visitas, entre portugueses e estrangeiros. Esta excelente recetividade deu uma médica de cerca de 300 visitantes por dia. Segundo Jacob Levi, membro da Comunidade Judaica do Porto, referido no comunicado divulgado:

“O visitante-tipo do Museu do Holocausto é o adolescente e o cidadão comum. Há sempre longas filas de pessoas que aguardam diariamente para entrar, devido a limitação de número de visitantes por orientação da DGS. É interessante registar que já houve taxistas que decidiram visitar o Museu depois de aqui terem trazido vários interessados”

@CJP

Gabriela Cantergi, membro da Direção da Comunidade, refere ainda no mesmo comunicado

“(…)o Museu do Holocausto foi concebido para fazer parte de um projeto inter-religioso, filantrópico e de combate ao antissemitismo que envolve cursos para professores, filmes sobre a história dos judeus em Portugal e visitas ao Museu Judaico e à Sinagoga.”

“Visto que 70% do público é constituído por jovens, sobretudo adolescentes, que aqui se deslocam em grupo, fora do contexto escolar, decidimos estender a gratuidade para menores de 30 anos, sem prazo.

No Museu, estão também membros da Comunidade Judaica do Porto, que conversam com os visitantes, dando assim um enquadramento mais próximo e emotivo, como por exemplo Josef Lassmann, cuja mãe esteve em Auschwitz e o pai que perdeu toda a família no Holocausto:

“A maioria dos visitantes não tem noção do que aconteceu durante o Holocausto. Quando eles percorrem o Museu e descobrem que podem falar diretamente com um filho de sobreviventes do Holocausto, esse é sempre o momento mais emocionante da visita. São conversas longas, interessadas, muito emocionantes para os visitantes e para mim próprio”.

Publicidade

@CJP

Tutelado por membros da Comunidade Judaica do Porto (CJP) cujos pais, avós e familiares foram vítimas do Holocausto, o Museu do Holocausto no Porto fica situado na rua do Campo Alegre. Este museu tem como objetivo ensinar o que foi o holocausto, homenagear e acima de tudo contribuir para que não se repita. Deste modo, o museu retrata:

“(…) a vida judaica antes do Holocausto, o nazismo, a expansão nazi na Europa, os guetos, os refugiados, os campos de concentração, de trabalho e de extermínio, a Solução Final, as marchas da morte, a libertação, a população judaica no pós-guerra, a fundação do Estado de Israel, vencer ou morrer de fome, os justos entre as nações”.

Numa visita ao museu é possível ver uma reprodução dos dormitórios de um dos campos de concentração – Auschwitz, uma sala de nomes, um memorial da chama, cinema, sala de conferências, centro de estudos, corredores com a narrativa completa, fotografias e ecrãs exibindo vídeos reais da altura.

@CJP

Museu do Holocausto do Porto
📍 Rua do Campo Alegre, 790
🕰️ Dias úteis das 14.30h – 17.30h
🎟️ Entrada gratuita para jovens até aos 30 anos

A maior sinagoga da Península Ibérica é no Porto (e não é por acaso)

Foto de capa: CJP