×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
O Que Fazer

A história do nome da rua Sá da Bandeira

Carolina Bessa Carolina Bessa

rua sá da bandeira

Esta é uma das principais ruas da cidade.

A Rua Sá da Bandeira é uma das principais artérias da Invicta, que pertence à freguesia de Santo Ildefonso, no Porto. Com início na Igreja dos Congregados, esta é uma rua importante e histórica e, por isso, fomos descobrir a origem do seu nome.

Já aqui falamos de outras ruas icónicas da cidade, tais como, a Rua Escura ou a Rua 31 de Janeiro. Por isso, continuamos nesta descoberta e homenageamos, hoje, a rua do Porto que alberga um a das maiores salas de espetáculo da cidade: o Teatro Sá da Bandeira.

Para além do teatro, é também aqui que se encontra um dos mais antigos cafés do Porto, A Brasileira” e, mais acima, uma loja de brinquedos histórica: Bazar Paris. Não apenas é nesta rua que encontramos alguns dos mais simbólicos espaços comerciais do Porto, como também é uma rua central da cidade, daí a sua importância.

Vamos, portanto, saber mais sobre a sua história.

rua sá da bandeira
flickr.com/José Santarém

Porquê “Sá da Bandeira”?

Esta rua, que é hoje muito movimentada, começou a ser construída por volta de 1836 num local maioritariamente ocupado por terrenos agrícolas.

A origem do seu nome está relacionada com uma história muito caricata e curiosa, que remonta aos tempos do Cerco do Porto. A rua homenageia Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo, marechal das tropas liberais.

Publicidade

Segundo reza a história, nesta guerra travada por liberais e absolutistas, era este marechal que transportava a bandeira liberal, tendo o seu braço sido amputado pelo inimigo. Ora, foi assim que passou a ser conhecido como Sá da Bandeira.

Para além do seu papel importante nesta guerra, Bernardo “Sá da Bandeira” chegou, mais tarde, a assumir cargos políticos relevantes. Para além destes reconhecimentos, deu-se o seu nome a esta rua importantíssima da cidade do Porto.

E a história da rua Passos Manuel, conheces?

Foto de capa: flickr.com/Fabiana Perazolo